Publicado por: geovankubalc | 22 de Junho de 2010

O Pai da Misericórdia

Na Austrália, uma jovem chamada Kerrie recebeu uma visita inesperada de um sacerdote justamente quatro dias antes de morrer.

O irmão dela, nos EUA, tinha feito uma corrente de oração por ela, pois Kerrie não era católica. Ao chegar no hospital, o padre a encontrou sedada. Ela apenas tinha saído do coma.

Na Austrália, uma jovem chamada Kerrie recebeu uma visita inesperada de um sacerdote justamente quatro dias antes de morrer.

O irmão dela, nos EUA, tinha feito uma corrente de oração por ela, pois Kerrie não era católica. Ao chegar no hospital, o padre a encontrou sedada. Ela apenas tinha saído do coma.

O sacerdote a acompanhou, enquanto o namorado foi procurar a mãe da jovem. Neste momento, Kerrie acordou. O padre, sem saber o que fazer para não a assustar, lhe disse: “Teu irmão me pediu vir aqui, para rezar por ti”.

“Quero ser católica!”

Esta foi a resposta de Kerrie. O padre ficou admirado. Antes de entrar na sala da UTI, o tinham advertido de que ela não tinha boa relação com a Igreja e muito menos com os sacerdotes. Deus tinha escutado as orações do seu irmão. Em seu coração, a jovem reconhecia a voz do Amor de Deus.

Aquele dia, o padre lhe presenteou um terço. Assim, Maria acompanharia aquela Sua filha, preparando-a para receber os sacramentos. No dia seguinte, Kerrie recebeu o Batismo, a Crisma e a Primeira Comunhão. Estava feliz!

Três dias depois, morria com um grande sorriso e transmitindo uma imensa paz a todos os que estavam presentes. Mais uma vez, Deus Pai mostrou a Sua grande Misericórdia.

Jesus, no Evangelho segundo Lucas no capítulo 15, nos relata a famosa parábola do “Filho Pródigo”, ou também chamada do “Pai Misericordioso”. Este filho tomou toda a sua herança e foi a outro país, longe da sua família para gastar tudo em diversões. Quando o jovem caiu na miséria, até o ponto de ter que cuidar de porcos, se deu conta de que, na casa de seu pai, ele tinha tudo, principalmente o Amor de seu pai, cuja falta tanto sentia.

É bom lembrar que para um judeu era proibido comer carne suina ou tocar um porco. Tanta foi a fome do filho pródigo, que chegou a comer o que se dava aos porcos, para assim saciar a sua fome. Foi muito grande a miséria humana na qual ele caiu. Certamente Cristo estava fazendo uma comparação, para mostrar como estava a alma do jovem.

Muitas pessoas chegam a “tocar fundo” o pecado. Nestes momentos, nos sentimos como este filho pródigo. Entretanto, ainda que tenhamos muitas misérias, é importante se levantar e lembrar a grande Misericórdia de Deus Pai. Ele nos espera com os braços abertos! Deus não dá importância se estamos com as roupas sujas ou rasgadas. Ele nos limpará e nos vestirá com uma roupa nova.

Como Kerrie, muitas pessoas experimentam a Misericórdia de Deus, através dos sacramentos. O Senhor tem seu momento para cada um, mas não se deve deixar passar a oportunidade, pois não sabemos se teremos outra.

Sem. Geovan Carlos Kuba, L.C.
gkuba@legionaries.org


Responses

  1. Estive ausente por bom período, devido a aluns problemas de saúde e fico contente em voltar e perceber que continuam postando seus escritos, palavras edificantes sempre encontram quem as leia.
    Gostei deste testemunho que nos leva a refletir sobre a força da oração, ela é sempre eficaz e poderosa, capaz de mover montanhas, como nos ensina o Senhor. Montanhas da indiferença, da falta de fé, enfim, da falta de Deus. Não que cristãos não católicos sejam pessoas desprovidas de fé, pelo contrário, conheço a muitos que neste quesito ultrapassam em quilômetros a muitos católicos. Mas infelizmente falta-lhes a devoção mariana e Maria é exemplo de fé, coragem, esperança e sabedoria. É a mãe que socorre seus filhos e roga e advoga em causa deles. São muitas as conversões ocorridas ao pé da cruz do Ressucitado, e onde está Ele, está Maria. Essa moça, que recebeu os sacramentos para logo morrer, teve ela também, a alegria de estar aos pés de Jesus,como Maria irmã de Marta e Lázaro, e sem dúvida alguma sob o manto protetor da Virgem Mãe. Morreu serena e dignamente, não por haver se tornado católica, mas porque acolheu em sua alma a misericórdia do Pai, a salvação do Filho e o amor da da Esposa do Espírito Santo, nossa Senhora e mãe. Bendito seja Deus que sempre e em todo lugar acolhe-nos e aceita, com alegria, as nossas orações em favor de outrem e nunca nos desampara, pois sabe a hora exata de levar-nos para junto de Si e derramar abundantes bênçãos sobre aqueles que oram por nossa conversão e salvação.


Categorias

%d bloggers like this: