Publicado por: renebelo | 26 de Dezembro de 2009

Procuro abrigo nos corações…

Aproxima-se mais uma vez uma das festas mais populares da cristandade: O NATAL. Em latim “natalis” que quer dizer, nascer, ser posto no mundo. Desde os anos 300 os cristãos já celebravam o nascimento do menino Jesus, sol verdadeiro a iluminar as trevas do mundo.  Lembro-me quando criança que ao chegar o mês de dezembro, o clima na natureza continuava o mesmo, mas parecia que havia um clima invisível que permeava os dias com suas arvores, luzes, cartões e músicas.

Quantos de nós lembramos da cena espalhada em gravura de Maria montada num jumentinho puxado por José, semblante triste por não ter quem os acolha naquela noite fria de Belém?

A mim parecia tão estranho quando ouvia as pessoas contarem que o menino Jesus, nascera num curral por não ter espaço em nenhum outro lugar daquela cidade.

Mas nenhuma casinha?

Nenhum coração compadecido perante uma mulher com os nove meses de gestação?

Que povo malvado pensava eu….

Confesso que esse raciocínio me acompanhou mesmo depois da infância.

Não parece absurdo demais que o desejado das nações, o prometido, o Emanuel, não tivesse um lugar digno pra nascer?

Exagero do autor bíblico?

Ou realidade?

Realidade do passado?

Ou realidade presente?

Aquelas pessoas de Belém, não sabiam que aquela jovem com seus 15 ou 16 anos carregava no útero o filho de Deus, no entanto hoje nos sabemos quem é Jesus e mesmo assim quantas vezes, num total gesto de desamor fechamos o nosso coração para ele.

O poeta estava certo ao escrever: “hoje o homem criou asas, e na maioria das casas eu também não posso entrar”

Ó Jesus, tu continuas sem um lugar adequado para nascer !

Visão pessimista?

Infelizmente sabemos que não, verdadeiramente o mundo fechou as portas ao Deus que se fez carne. A figura do mal personificada em Herodes, não ficou no passado, mas acompanha a humanidade ate a consumação dos tempos em tantos que não apenas rejeitam o Cristo e sua igreja, mas desejam tira-lo do mundo.

Por outro lado, para quem o acolhe e o reconhece como Senhor e Deus, o período do Natal deveria encher o coração de uma alegria imensurável, por tamanho Amor do Pai, que entregou seu ÚNICO FILHO (somos filhos adotivos) ao mundo’.

Da mesma alegria participamos pela a luz do filho de Deus; as trevas jamais poderão vencer a gloria do Verbo eterno que se fez um de nós.

O saudoso e amado João Paulo II ao ser eleito Papa bradou: “ABRAM AS PORTAS A CRISTO, ESCANCAREM.” Esse deveria também ser o grito dos cristãos ao mundo de hoje, para que os testemunhos do que crêem e esperam o Deus-conosco possa ter um brilho maior do que das luzes colorias do comércio.

Certamente a confraternização natalina tem seu lugar; os presentes, os abraços os reencontros. Mas não deixemos que tudo isso nos roube o essencial que é o grande dom de amor do Pai ao mundo. Preparemos o nosso coração com uma boa confissão, participemos da santa missa do natal, encontremos o corpo e sangue do menino santo na eucaristia, e com certeza nos uniremos verdadeiramente ao verbo feito carne.

É importante lembrar que nos dia 25 de dezembro o santo padre Bento XVI dará a todo mundo a benção “urbi et orbi” que significa “benção à cidade de Roma e ao mundo” e uma benção especial apenas dada por ocasião da páscoa e do natal.

Peçamos a Maria mãe do verbo, que nos dê um coração humilde, e digno de recebê-lo, e a José pecador como eu e você, a graça de ouvir a voz de Deus, e cumprir sua vontade sem demora.

Sem Ele, nada é verdadeiramente Feliz.

Por isso, Feliz Natal com cristo!


Responses

  1. Parabens a tods que fazem o blog catequizando. Sempre com otimas materias. abraço


Categorias

%d bloggers like this: