Publicado por: siluchoa | 23 de Dezembro de 2009

Santos de Dezembro

Olá irmãos e irmãs em Cristo!

Como estão vocês? Esperando ansiosamente o Nascimento de Cristo?

Nascimento que nos trará Vida Nova e esperança em dias melhores nesse novo ano que se aproxima.

Peçamos desde já que a Luz do Menino Cristo ilumine nossos dias em 2010!!

Vamos aproveitar essa época e refletir sobre os dias que antecedem o Natal e a importância que têm para nós cristãos.

No dia 21 de dezembro nos recordamos da Visitação da Virgem Maria a sua prima Santa Isabel.

“O Anjo anunciara à Virgem Maria coisas misteriosas. Para fortalecer sua fé com um exemplo, anunciou-lhe a maternidade de uma mulher idosa e estéril, como prova de que é possível a Deus tudo que ele quer.

Logo ao ouvir a notícia, Maria dirigiu-se às montanhas, não por estar incrédula quanto à profecia ou incerta sobre o anúncio, nem por duvidar do exemplo dado, mas no entusiasmo de seu desejo, na fidelidade em prestar serviço e na pressa da alegria. (…)

Manisfestam-se imediatamente os benefícios da chegada de Maria e da presença do Senhor, pois “ao ouvir Isabel a saudação de Maria, o menino estremeceu em seu seio e Isabel ficou cheia do Espírito Santo”. Isabel percebeu a vinda de Maria, e João Batista a vinda do Senhor (…).

Felizes também sois Vós, que ouvistes e crestes, pois toda alma que possui fé concebe e gera a Palavra de Deus e conhece suas obras.

Esteja em cada um a alma de Maria para glorificar o Senhor; em cada um o espírito de Maria para estremecer de alegria em Deus (…) ( Dos Tratados de Santo Ambrósio, sobre o Evangelho de São Lucas)

Feliz é tu, pois acreditaste quem em ti se cumpriria o que o Senhor te anunciara.

Dia 22 de dezembro nos marca pela frase sublime de Maria: “Minha alma glorifica o Senhor”.

“ E Maria disse: “Minha alma glorifica o Senhor e meu espírito exulta em Deus, meu Salvador.”

O Senhor, diz ela, elevou-se por um dom tão grande e inaudito, que nenhuma palavra o pode descrever e mesmo no íntimo do coração é difícil compreendê-lo. “Porque o Todo-poderoso fez em mim maravilhas e santo é o seu nome”(…).

Na verdade, quem conhece o Senhor e desdenha glorificá-lo e santificar o seu nome o quanto pode, “será considerado o menor no reino dos céus”. Diz-se que santo é o seu nome, porque, pelo seu poder iluminado, transcende toda criatura e está infinitamente separado de todas as coisas criadas (…).

“Assim como prometera a nossos pais, a Abraão e à sua descendência para sempre”. Trata-se da descendência de Abraão segundo o espírito e não segundo a carne, isto é, não apenas dos filhos segundo a natureza, mas de todos que seguirem seu exemplo (…).

É com razão que, antes do nascimento do Senhor e de João, suas mães profetizaram, para que, tendo o pecado começado pela mulher, os bens comecem igualmente por ela e a vida perdida pela fraude que seduziu a uma, restituída ao mundo pelo anúncio da salvação feito por duas.” ( Do Comentário de São Beda, o Venerável, presbítero, sobre o Evangelho de São Lucas).

Dia 23 de dezembro podemos nos recordar da Vinda de Deus aos homens por meio do Verbo Divino: Jesus Cristo.

“Há um único Deus, meus irmãos, que só conhecemos pelas Sagradas Escrituras. Consideremos, portanto, tudo que as Escrituras divinas anunciam e conheçamos tudo que ensinam. Creiamos no Pai como se quer ser crido; glorifiquemos o Filho como ele quer ser glorificado e recebamos o Espírito como ele quer se dar a nós (…)

O Verbo, portanto, se tornou visível, como diz São João. Ele repete em síntese o que haviam dito os profetas, demonstrando que este é o Verbo por quem tudo foi feito.  Diz: No princípio era o Verbo e o Verbo estava e Deus e o Verbo era Deus. Tudo foi feito por ele e sem nada foi feito” (…).( Do Tratado de Santo Hipólito, presbítero).

Dia 24 de dezembro, véspera do nascimento de Jesus, é anunciada a Jerusalém a Boa Nova, ou seja, o próprio Cristo.

“Desperta, desperta Jerusalém (…). Desperta, ó homem: por tua causa Deus se fez homem. “Desperta, tu que dormes; levanta-te do meio dos mortos e Cristo te iluminará”. Por tua causa, repito, Deus se fez homem. Estarias morto para sempre, se ele não tivesse nascido no tempo. Estarias condenado a uma eterna miséria, se não tivesse recebido sua misericórdia (…).

Celebremos com alegria a vinda de nossa salvação e redenção. Celebremos esse dia de festa em que o grande e eterno Dia, gerado pelo Dia grande e eterno, veio a esse nosso dia temporal tão breve!!

(…)“A Verdade brotou da terra” porque “ o Verbo se fez carne”. E a justiça olhou do alto do céu porque “toda dádiva boa e todo dom perfeito vem do alto”

“A verdade brotou da terra”, isto é, da carne de Maria. “ E a justiça olhou do alto do céu” porque “o homem não pode receber coisa alguma se não lhe for dada do céu”

(…) Eis por que, quando o Senhor nasceu da Virgem, os anjos proclamaram: “Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens de boa vontade”. ( Dos Sermões de Santo Agostinho)

“Nascerá um rebento do tronco de Jessé, e de suas raízes, uma flor…”

Dia 25 de dezembro: Natal do Senhor.

Dia 26 de dezembro celebramos a memória de Santo Estevão.

“Ora, Estevão, cheio de graça e de força, operava grandes prodígios e sinais entre o povo. Vieram então alguns da sinagoga chamada dos Libertos, dos cirineus e alexandrinos, e puseram-se a discutir com Estevão. Mas, não podiam resistir à sabedoria e ao Espírito que o levavam a falar (…).

(…) Dando grandes gritos, eles taparam os ouvidos e, todos precipitaram-se contra ele, empurraram-no para fora da cidade e puseram-se a apedrejá-lo. As testemunhas tinham deposto suas vestes aos pés de um jovem chamado Saulo. E enquanto era apedrejado, Estevão fazia esta invocação: “Senhor, recebe o meu espírito”.

(…) Ontem, celebrávamos o nascimento temporal de nosso Rei eterno; hoje celebramos o martírio triunfal de seu soldado. Ontem o nosso Rei, trazendo uma veste de carne e saindo da morada de um seio virginal, dignou-se visitar o mundo; hoje o soldado, deixando a tenda de seu corpo, parte vitorioso para o céu” (…) (Dos sermões de São Fulgêncio de Ruspe, bispo)

No dia 27 de Dezembro celebramos a Festa da Sagrada Família.

“Submetei-vos uns aos outros no temor de Cristo. As mulheres estejam sujeitas aos seus maridos(…) e vós maridos, amais vossas mulheres, como Cristo amou a Igreja e se entregou por ela…(…). Filhos, obedecei aos vossos pais, no Senhor, pois isso é justo(…). ”

“Nazaré é a escola onde se começa a compreender a Vida de Jesus: a escola do evangelho. Aqui se aprende a olhar, a escutar, a meditar e a penetrar no significado, tão profundo e tão misterioso, dessa muito simples, muito humilde e muito bela manifestação do Filho de Deus. Talvez se aprenda até, insensivelmente, a imitá-lo (…)

Oh! Como gostaríamos de voltar à infância e seguir essa humilde e sublime escola de Nazaré! Como gostaríamos, junto com Maria, de recomeçar a adquirir a verdadeira ciência e elevada sabedoria das verdades divinas (…)

Primeiro, uma lição de silêncio: Ó silêncio de Nazaré, ensina-nos o recolhimento, a interioridade, a disposição para escutar as boas inspirações e as palavras dos verdadeiros mestres (…) Uma lição de vida familiar: Que Nazaré nos ensine o que é a família, sua comunhão de amor, sua beleza simples e austera, seu caráter sagrado e inviolável. Uma lição de trabalho: Ó Nazaré, casa do filho do carpinteiro, é aqui que gostaríamos de compreender e celebrar a lei, severa e redentora, do trabalho humano(…) ( Das Alocuções do papa Paulo VI).

Também celebramos no dia 27 a Festa de São João, Apóstolo e Evangelista.

“Meus filhinhos, isto vos escrevo para que não pequeis,; mas se alguém pecar, temos como advogado, junto do Pai, Jesus Cristo, o justo. Ele é a vítima de expiação pelos  nossos pecados. E não somente dos nossos, mas também pelos do mundo inteiro. E sabemos que o guardamos por isto: se guardamos os seus mandamentos.”

“E damos testemunho”, diz João, “ e vos anunciamos a vida eterna, que estava junto do Pai e se manifestou a nós (…) O que vimos e ouvimos, nós vos anunciamos.”

Este é João, que na Ceia inclinou a cabeça sobre o peito do Senhor. Feliz o apóstolo a quem foram revelados os segredos celestes!!

No dia 28 de dezembro celebramos a Festa dos Santos Inocentes, mártires que antes mesmo de conhecer Cristo, o anunciaram com suas mortes.

“(…) Por que temes, Herodes, ao ouvir que nasceu um Rei? Ele não vêm expulsar-te, mas vencer o demônio. Como não compreendes isso, tu te perturbas e te enfureces; para perderes o único menino que procuras, tens a crueldade de matar tantos outros. Não te detém o amor materno das mães em lágrimas, nem o luto dos pais que choram seus filhos, nem o grito e gemidos das crianças. Trucidas esses pequeninos no corpo porque o medo te trucida no coração; julgas que, se realizares teu propósito, poderás viver muito tempo, mas é a própria Vida que procurar matar (…). Ó imenso dom de graça! Quais foram os méritos dessas crianças para obterem tal vitória? Ainda não falam e já proclamam o Cristo (…) (Dos Sermões de São Quodvultdeus, bispo)

Assim, encerramos esse ano de muita graça nas nossas vidas. E pedimos que Deus possa nos dar o dom da conversão, do mesmo modo que nossos  Santos e Santas conseguiram alcançá-la.

Todos os Santos e Santas do Senhor, rogai por nós!!

Todas as citações e fontes das vidas dos Santos e Santas aqui levantadas são do “Liturgia das horas-Ofício das Leituras- Próprio dos Santos” da Edições Paulinas (1987)


Categorias

%d bloggers like this: